eXTReMe Tracker


Notícias .:.

01/09/2007
Temas polêmicos movimentam o último dia do Intercom

da Assessoria de Comunicação INTERCOM (Local)


Com a participação de mais de 3.800 congressistas, o último dia do Intercom 2007 terá apresentação de trabalhos de pesquisadores e profissionais de todo o Brasil. Os eventos acontece na Unisantos - Campus Dom Idílio, ao londo de todo o domingo. Confira abaixo a programação:

Programação 02/Setembro/2007

Religião e Mídia

14h00 às 16h00
NP_PP_02_04 - Mesa - Unisantos/Aud.1
Do consumo da religião à pregação do consumo

Participantes: Deborah Pereira da Silva (PUC-SP), Eduardo Refkalefsky (UFRJ), Christiane Paula Godinho Santarelli (ECA-USP), Debatedor: Adolpho Carlos Françoso Queiroz


Publicidade, religião e consumo: a busca pelo encantamento.
Deborah Pereira da Silva (PUC-SP)

Compreender o consumo de maneira mais abrangente parece ser uma necessidade que se apresenta para um melhor entendimento dos indivíduos e dos grupos sociais contemporâneos. Ao propormos a religião como ponto de partida dessa análise, queremos compreender como o encantamento, que por séculos residiu no âmbito da religiosidade, desliza e vai encontrar amparo no discurso publicitário e na experiência de consumo.


Um percurso de análise da publicidade: da percepção à ação.
Christiane Paula Godinho Santarelli (ECA-USP)

Neste trabalho apresentaremos uma análise da campanha da marca Fórum Jeans intitulada “Ajude a limpar o Brasil” por meio de um modelo híbrido de leitura do manifesto publicitário. Nosso objetivo é contribuir para o entendimento do processo persuasivo da imagem publicitária, em um percurso analítico que vai da percepção dos elementos expressivos da mensagem até a interpretação da ação pretendida pelo anunciante.


Segmentação na propaganda religiosa: Bola de Neve Church e o evangelho para a geração Y
Eduardo Refkalefsky (UFRJ), Aline de Araújo Durães (UFRJ)

A propaganda religiosa, e a comunicação de modo geral, da Igreja Pentecostal Bola de Neve representa um caso eficiente de segmentação mercadológica. A Igreja consegue atrair um público geralmente avesso à temática religiosa em geral e ao pentecostalismo, em particular: os jovens de classe média, integrantes da chamada "geração Y". A fórmula, do ponto de vista do planejamento publicitário, está em criar um "como dizer" (linguagem) criativo, inovador e semelhante ao ambiente deste público, sem sacrificar o "o que dizer", representado pela doutrina religiosa. Em outras palavras, a divisão entre forma e conteúdo, representado na propaganda religiosa por profano e sagrado. Este modelo serve de referência não apenas para a comunicação religiosa, mas também para a propaganda comercial.


Música, VJs e Vídeoclipes

09h00 às 11h00
NP_AU_02_01 - Apresentação de trabalhos - Unisantos
Música e Meios Audiovisuais 2: Vjs e Videoclipes
Participantes: Christine Pires Nelson de Mello (FASM), Elenice Mattos Corrêa (Unisinos), Rodrigo Ribeiro Barreto (FACOM-UFBA), Thiago Soares (UFBA)

Parangolés Eletrônicos: uma eletroestética da velocidade.
A mistura da videomontagem com a música eletrônica.
Elenice Mattos Corrêa (Unisinos)

Apresenta o processo de produção audiovisual contemporâneo que trata da mistura da videomontagem com a música eletrônica, ou seja, a produção dos VJs com a dos Djs, que ocorrem nos eventos em torno da música eletrônica. Estas produções vão constituindo um possível gênero auidiovisual diferenciado, um hí­brido de cinema e ví­deo associado e catalizado pelas tecnologias digitais de produção das mí­dias audiovisuais, fazendo surgir, portanto, outras poéticas digitais e audiovisuais que incrementam as discussões sobre a teoria da imagem e do som nas pesquisas em comunicação audiovisual.


Parceiros no clipe: uma análise contexto-textual da autoria de Björk e Michel Gondry em Human Behaviour
Rodrigo Ribeiro Barreto (FACOM-UFBA)

Por meio de uma análise do videoclipe Human Behaviour, o artigo pretende avaliar a parceria entre a cantora islandesa Björk e o diretor francês Michel Gondry como um exemplo de autoria compartilhada no campo de produção dos vídeos musicais. Em inclinação contextual, o trabalho segue uma inspiração “bourdieusiana” para examinar as trajetórias dos realizadores em questão, além das condições de surgimento desta que é uma das parcerias mais reconhecidas no campo. O viés analítico adotado investe também nas estratégias e estilos textualmente identificados: temática, caracterização dos personagens, influências e citações intertextuais, concepção cênica, relações entre música e imagem.


O videoclipe como semblante midiático: Estratégias discursivas na construção da imagem da cantora Björk
Thiago Soares (UFBA)

A partir do conceito de semblante midiático, como proposto por Andrew Goodwin (1992), realizamos uma análise do videoclipe “Jòga”, da cantora islandesa Björk. Identificamos, no objeto audiovisual em questão, sintomas de estratégias discursivas que evocam uma construção midiática da imagem de Björk a partir das premissas de deriva e estranhamento. O exame do videoclipe parte da verificação da matéria expressiva da canção, problematiza a performance inscrita através da voz e do arranjo e tensiona as referências imagéticas genéricas. Como resultado da investigação, é possível identificar nuances sobre o posicionamento da cantora Björk nas instâncias da indústria fonográfica.


08h30 às 12h00
NP_CI_02_01 - Sessão de apresentação de trabalho - Unisantos/sl.315
A comunicação na construção da cidadania

Participantes: Bruno Fuser (UFJF), Alexandre Barbalho (UECE), Guilherme Gitahy de Figueiredo (UEA), Valquíria Guimarães da Silva (UFT), Aline Fernanda Lima (Unitau), Nayara Carla Teixeira (UMESP), Cláudia Regina Lahni (UFJF), Marcelo Monteiro Gabbay (UFRJ), Orlando Mauricio de Carvalho Berti (URSA)


A Comunicação a serviço da cidadania e identidade de adolescentes
Cláudia Regina Lahni (UFJF), Fernanda Coelho da Silva (UFJF)

O estudo mostra uma breve análise histórica da situação da juventude no Brasil e aborda o tema da Educomunicação, apontando-o como uma metodologia do uso da comunicação, em especial do rádio, como instrumento para a contribuição do exercício da cidadania dos jovens, principalmente das classes populares, no Brasil. Algumas iniciativas são apresentadas como meios para se chegar a tal objetivo. É o caso do projeto Jornal e Rádio no UFJF: Território de Oportunidades, sobre o qual foi feita uma pesquisa (quantitativa e qualitativa) com os participantes e cujos resultados estão parcialmente dispostos neste artigo.


A criação está NoAr: juventude, mídia e cidadania
Alexandre Barbalho (UECE)

O artigo vincula-se à pesquisa “Minorias, cidadania e mídia. Políticas culturais juvenis no espaço público contemporâneo” que procura compreender como os jovens observam e produzem a realidade através de suas práticas audiovisuais. O pressuposto é o de que a juventude entendida como minoria, portanto como discurso minoritário, atua no campo da produção simbólica, em especial a midiática, para poder falar e ser ouvida. Neste trabalho, será analisado o programa de TV NoAr produzido por jovens que participam da ONG Alpendre em Fortaleza (Ceará).


09h00 às 12h00
NP_ED_02_01 - Sessão de apresentação de trabalho - Unisantos/sl.311
Educação, Meios de Comunicação e Cidadania

Participantes: Luzia Mitsue Yamashita Deliberador (UEL), kelma Fabiola Beltrão de Souza (Unesj), Valquíria Guimarães da Silva (UFT), Ivete Cardoso do Carmo Roldão (PUC-Campinas), Maria das Graças Pinto Coelho (UFRN), Silvio Henrique Vieira Barbosa (Facasper)


A importância da comunicação e do exercício de cidadania para mudar a realidade de uma Escola Pública. Caso do Colégio Estadual do Jardim Independência, Sarandi/PR.
Luzia Mitsue Yamashita Deliberador(UEL)

Mostra o resultado de pesquisa sobre como a direção de uma escola pública conseguiu, pela inclusão de atividades de comunicação, cultura, meio ambiente e esporte e, principalmente, pelo trabalho de recuperação de auto-estima e construção da cidadania, mudar a realidade de uma escola da periferia de uma cidade do interior do Paraná. A escola conseguiu que a agressividade e a violência fossem substituídas pela alegria, comprometimento e espírito coletivo e que os alunos pudessem ter projetos e sonhos, vestindo a camisa da Instituição de que agora eles têm orgulho.


A Educação para a Cidadania no caminho da TV Brasileira
Silvio Henrique Vieira Barbosa(FACASPER)

O trabalho se baseia em pesquisa para tese de doutoramento defendida na Escola de Comunicações e Artes da USP em 2006. Constatei que entidades que dirigem seu foco de atuação aos mais variados segmentos sociais, e que representam diversas facetas da luta pela cidadania, enxergam a tevê brasileira como importante meio de popularização de seus objetivos. Embasada nessas opiniões, essa pesquisa conclui pela necessidade da tv - mídia de maior alcance e audiência, e que é uma concessão pública - de atender ao interesse maior da sociedade, adequando a grade de programação ao mandamento constitucional de educar para a cidadania, colaborando, efetivamente, para a inclusão social de milhões de excluídos por todo o país.


09h00 às 12h00
NP_PP_02_01 - Sessão de apresentação de trabalho - Unisantos/Aud.1
Marketing político e propaganda eleitoral: recursos tradicionais e digitais e estratégias discursivas

Participantes: Neusa Demartini Gomes (PPGCOM/PUCRS), Dulce Adélia Adorno Silva (PUC-Campinas), Mônica Machado Cardoso (UFRJ), Paulo Roberto Figueira Leal (UFJF), Sérgio Roberto Trein (UNISINOS/ESPM), Bruno Augusto Amador Barreto (UNIGRAN)


Os instrumentos do marketing político e eleitoral e a persuasão como elemento comum entre eles para a formação da opinião pública
Neusa Demartini Gomes (PPGCOM/PUCRS)

O estudo se refere ao uso dos instrumentos da comunicação política - pubblicidade, propaganda, relações públicas e jornalismo - a partir do enfoque da comunicação persuasiva, elemento comum entre estes instrumentos que servem tanto ao merketing político quanto ao eleitoral. A reflexão sobre como se faz comunicação política no Brasil é cada vez mais fundamental, uma vez que a rápida transformação das mensagens mostra , segundo Mouchon, a incapacidade dos homens políticos de ir mais além de um tipo de relação baseada na palavra imposta e na negação ao uso de outros argumentos.


A Propaganda Política na Sociedade Digital (O Uso dos Blogs como Veio de Propaganda Totalitária e como Guerrilha Virtual)
Dulce Adélia Adorno Silva (PUC-Campinas)

A sociedade mediada pelas tecnologias de informação e comunicação (TIC), usa recursos da Internet, cuja relação entre sujeitos se faz por conversa ou comentário, retomando características da comunicação humana, para ganhar "os confins da cidade e tornar-se artigo de fé". As mensagens atendem à análise de Tarde, mas possuem a característica do meio – a virtualidade, assumida como realidade pelos usuários. Mostra que essa comunicação funciona como estratégia de caráter político para legitimação do poder, ou como tática de guerrilha, para desestabilizar o governo. Usa os métodos dialético para abordagem e o complexo para fundamentação da análise. Exemplifica com blogs e conclui que a tecnologia aparenta ser dialógica, mas tem duas funções: a) unidirecional: repassa informações totalitárias para sustentar o poder e b) implosiva: fragmenta a unidade do Estado por meio de guerrilhas virtuais.


14h00 às 17h00
NP_RA_02_03 - Sessão de apresentação de trabalho - Unisantos/sl.210
A indústria fonográfica brasileira

Participantes: Irineu Guerrini Jr. (FCL), Marta Regina Maia (Metrocamp), Eduardo Vicente (USP), Marcos Júlio Sergl (USJT/UNESP), Moacir Barbosa de Sousa (UFRN), Ayêska Paulafreitas de Lacerda (UESC), Andrea Pinheiro Paiva Cavalcante (UNIFOR), Sergio Francisco Endler (Unisinos)


Discos em bancas: da indústria cultural à guerrilha cultural
Irineu Guerrini Jr. (FCL)

Procura demonstrar a importância das gravações fonográficas vendidas em bancas de jornais. Inicia discorrendo sobre a introdução dos fascículos pela Editora Abril que, após o êxito de algumas coleções, lança, em 1968, a primeira acompanhada de discos: Grandes Compositores da Música Universal, versão brasileira de um original italiano e, em 1970, História da Música Popular Brasileira, totalmente produzida no Brasil. Passa pelo Disco de Bolso, iniciativa de produção e distribuição independente de Sérgio Ricardo, comenta coleções de MPB, de jazz e de música clássica dos anos oitenta e noventa e dos primeiros anos deste século, analisa os CDs mais recentes que acompanham a revista Caras e termina falando da experiência de outracoisa, revista também acompanhada de CD lançada pelo intérprete e compositor Lobão.


O Mercado Fonográfico Nacional e a Produção de Música Erudita
Eduardo Vicente (USP), Marcos Julio Sergl (USJ)

Oferece um breve olhar acerca do segmento da música erudita no contexto da indústria fonográfica nacional. Para tanto, é apresentado inicialmente um breve histórico dessa produção, cobrindo o período que vai do final dos anos 50 até a década de 1980: período de consolidação da indústria no país, em que várias ações no setor erudito são desenvolvidas. A seguir, buscamos apresentar um breve relato acerca do cenário da indústria que se desenvolve a partir da década de 1990, entendendo que esse período demarca uma nova fase: baseada no formato CD e nas facilidades de produção – inclusive autônoma – oferecidas pelas tecnologias digitais. Segue-se, então, a apresentação do cenário atual da produção erudita, bem como algumas reflexões acerca dos impasses e alternativas para o segmento.


A Fábrica de Melodias
Moacir Barbosa de Sousa (UFRN), Luiz Maranhão Filho (UFPE)

A fábrica de discos Mocambo representou para a cultura nordestina a valorização do artista local. Fundada pela família Rozenblit, que se instalou no Recife nos anos 1950 a gravadora teve altos e baixos, porém nunca abandonou o papel de incentivadora da música nordestina. Foi apontada como conservadora demais na sua política de promover os artistas da terra. Apesar disso, na época da jovem guarda, chegou a gravar e distribuir discos de artistas que tomaram parte daquele momento da música brasileira, como Martinha, De Kalafe e a Turma, Os Baobás, e outros. O sonho dos Rozenblit literalmente foi de água abaixo quando as enchentes do rio Capibaribe, em Recife, inundaram toda a fábrica na Estrada dos Remédios, fechando um ciclo importante para a cultura regional.


14h00 às 17h00

NP_TI_02_05 - Sessão de apresentação de trabalho - Unisantos
Jornalismo Digital: a Notícia Imaterial
Participantes: Sabine righetti (Unicamp), Ana Paula de Oliveira Oliva (UMESP), Mauro de Souza Ventura (Unesp), Mariana Della Dea Tavernari (ECA - USP), Filipe Barros Beltrão (UFPE)


Inovação tecnológica, formação de competências e diversificação no mercado da comunicação: a introdução da internet em dois grupos brasileiros de mídia impressa
Sabine Righetti(Unicamp), Ruy Quadros (Unicamp)

A emergência da internet como uma nova mídia obrigou as empresas de mídia impressa a definirem estratégias para entrar no mercado de comunicação e de serviços baseados nessa plataforma. O trabalho proposto apresenta resultados de uma pesquisa sobre as estratégias de diversificação de negócios nas empresas de comunicação impressa brasileiras, com base na exploração de serviços na internet. O processo é estudado sob o enfoque da estratégia competitiva e tem como base a investigação empírica das estratégias tecnológicas e de mercado do Grupo Folha e do Grupo Estado. Os dois casos evidenciam que a internet foi vista pelas empresas como uma inovação tecnológica incerta e promissora, mas a trajetória tecnológica de cada uma dessas empresas é bastante distinta.


Sala de imprensa virtual: ferramenta poderosa no relacionamento com a mídia
Ana Paula de Oliveira Oliva (UMESP)

A internet configura-se como ferramenta poderosa para as assessorias de imprensa no relacionamento com a mídia. Pela web, as organizações podem divulgar seus produtos e serviços e principalmente estabelecer canais de comunicação com seus públicos. Um dos canais possíveis são as Salas de Imprensa Virtuais, espaços determinados na página de internet de empresas ou organizações para relacionamento com veículos de Comunicação e jornalistas. O presente artigo analisa o conteúdo das salas de imprensa de seis empresas brasileiras integrantes do top 500 do jornal Financial Times da edição 2006. O estudo teve como objetivo observar (em duas coletas de dados) como a ferramenta da internet está sendo utilizada pelas assessorias de imprensa dessas instituições, como forma de divulgação e de interação com a mídia, e quais conteúdos estão sendo disponibilizados aos jornalistas.


Produção e edição colaborativa na Internet
Filipe Barros Beltrão (UFPE)

Analisa as práticas comunicacionais presentes na Internet e sua influência no campo da produção da informação, particularmente os processos de produção colaborativa que estão tencionando os valores e poderes da mídia. A pesquisa apresenta o modelo de produção e edição do website colaborativo Overmundo e interliga estudos que discutem as práticas midiáticas contemporâneas no ciberespaço.


Serviço

30° Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – INTERCOM 2007

Locais:

Universidade Santa Cecília – Unisanta
Rua Oswaldo Cruz, 277 – Boqueirão
Telefone: (13) 3202-7101

Universidade Católica de Santos – Unisantos
Av. Conselheiro Nébias, 300 - Encruzilhada
Telefone: (13) 3205-5555

Centro Universitário Monte Serrat – Unimonte
Av. Rangel Pestana, 99 – Vila Matias
Telefone: (13) 3228-2100


Informações

William Lara
Coordenação Nacional de Comunicação e Imprensa – INTERCOM 2007
(11) 8273-1178
www.intercom.org.br

Assessoria Regional do Intercom 2007
(13) 3202-7113
Cláudia Busto (13) 9701-2400
Verônica Mendrona (13) 9106-6755

Últimas notícias :.:

2/9/2007 - Quadrinhos juntam poesia, filosofia e comunicação
2/9/2007 - Impacto da Internet influencia futuro do rádio
2/9/2007 - Cursos de Santos levam quatro prêmios na Expocom
2/9/2007 - Núcleo discute Cony, livros de bolso e obras didáticas
2/9/2007 - Natal será sede do XXXI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação
2/9/2007 - Globalização ainda é tema pouco pesquisado no Brasil
2/9/2007 - Jornalismo deve resgatar a crônica, propõem pesquisadores
2/9/2007 - Dúvidas cercam implantação da TV digital
2/9/2007 - Pollyana Ferrari lança livro sobre hipertexto e hipermídia
2/9/2007 - Pesquisas mostram as transformações históricas do rádio no Brasil
2/9/2007 - No Jornal Entrevista, mudança constante é a regra
2/9/2007 - Arquivo reúne registros da censura do Dops ao teatro
2/9/2007 - Jornalistas discutem definição para agência universitária de notícias
1/9/2007 - Palestra fala sobre TV digital e de alta definição
1/9/2007 - The Sims vira tema de discussão acadêmica
1/9/2007 - Alunos vencedores do Prêmio Expocom serão conhecidos neste domingo (02) na Unisanta
1/9/2007 - Temas polêmicos movimentam o último dia do Intercom
1/9/2007 - Vidas na Rede é tema de programação na Unisantos, neste sábado (1/09)
1/9/2007 - As transformações do rádio em meio às inovações tecnológicas
1/9/2007 - Região Sudeste conta com o maior número de revistas sobre comunicação
1/9/2007 - Cultura regional é tema preferido na categoria rádio na Expocom
1/9/2007 - Emoção na publicidade depende do ``olhar``
1/9/2007 - Grupo Sem Fantim mostra raízes dos ritmos brasileiros
1/9/2007 - Projetos de jornalismo impresso são destaque no Expocom
1/9/2007 - Pressão consumista neurotiza a ``geração Rebelde``
31/8/2007 - Novas mídias multiplicam os fazedores de informação”, diz Gaudêncio Torquato
31/8/2007 - Jornalista do Le Monde Diplomatique aponta crise na democracia e na comunicação
31/8/2007 - J-Aliança quer mídia mais responsável e com participação da sociedade
31/8/2007 - Comunicadores e interatividade digital são temas de palestra no Intercom 2007
31/8/2007 - Estudo analisa o perfil do consumidor


Para acessar o índice geral de notícias, clique aqui.





 




 

© 2007. As matérias e imagens disponíveis neste hotsite foram produzidas por alunos do terceiro ano do curso de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo da UNISANTA, exceto quando creditado. Informações oficiais sobre o INTERCOM 2007 estão disponíveis no endereço www.intercom.org.br ou na coluna "Sala de Imprensa" (presente na página inicial deste site). Consulte também o link "Expediente" para saber como entrar em contato com a Assessoria de Imprensa Local do INTERCOM 2007.