Você está aqui: Primeira página » Campus
Edição nº 372 | Ano XVIII | Fechada em 12/05/12 às 13h15
Cadernos
 Campus
 Cultura
 Eleições 2012
 Esportes
 Geralis
 Porto
 Regional
 Saúde
 Primeira página

Contato
 Escreva para nós
 Sugira uma pauta
 Colabore conosco

Sobre o Online
 Expediente
 Arquivo
 História

 Parceria InfoSpace
 Parceria U-Wire
 RSS

Especiais
 Eleições 2004
 Eleições 2006
 Intercom 2007

 Eleições 2008
 Eleições 2010
 Copa do Mundo 2010

 

 

 
Mães universitárias enfrentam dilema para continuar estudos
sábado, 12 de maio de 2012

Camilla Laranjeira

Envie esta matéria para um amigo Imprima esta matéria

 Albertino Neto

A rotina universitária requer muita dedicação de um aluno. Quando o sonho de ser mãe é antecipado nessa fase, algumas garotas abrem mão dos estudos para cuidar dos seus bebês. Andressa Muniz, 19 anos, grávida de quatro meses, estava cursando Comunicação Social na Universidade Santa Cecília. “Tive que trancar o curso devido algumas complicações na minha gestação”. A jovem tem planos de voltar aos estudos no próximo ano.

A estudante do 4º semestre de Administração, Leila Cesar, 30 anos, já era mãe de uma menina quando engravidou durante o curso. “Nos últimos três meses de gestação não fui mais às aulas”.

A gravidez na universidade não significa o fim dos estudos. Por lei 6.220a partir do oitavo mês de gestação e durante três meses a estudante deverá ser assistida pelo regime de exercícios domiciliares pela instituição de ensino.

A psicóloga Adriana Emídio conta que é essencial o apoio da família. “Muitos pais encaram a gravidez precoce como algo que irá comprometer o futuro do jovem. O correto é incentivar os estudos e acompanhar a gestação”. Adriana acredita que devido à imaturidade muitos querem encontrar na juventude uma desculpa para abortar.

Andressa lembra que seus familiares tomaram um susto logo de início, mas agora todos apóiam sua gravidez. “Meu namorado reagiu super bem", relatou. A estudante de Comunicação está ansiosa e contou que está lendo muito sobre o assunto.

No entanto, a rotina de cuidar de um bebê e encarar um curso universitário não é fácil relata Leila. “Muitas vezes tive que amamentá-lo em sala”.

Para a psicóloga, é essencial continuar com os estudos. “Ter um filho não é motivo para abandonar um sonho. A mãe tem que saber conviver e se adaptar com seu novo estilo de vida”. As duas universitárias sonham em dar qualidade de vida para seus filhos, por isso resolveram prosseguir com os estudos. “Vou me dedicar ao meu curso, pois quero garantir o futuro do meu filho”, relatou a estudante de administração.







Leia também no caderno Campus Estudantes enfrentam estradas para estudar



 

 

 

 

Twitter Página do Online no Facebook RSS do Unisanta Online Comunidade do Unisanta Online no Orkut

Há 1 ano no Online


Baixe as últimas edições »

Semana de Arte Moderna: 90 anos

Um século de glórias

Última impressão

O caminho das artes

 



Divulgação Secom-PMS

Baixe as últimas edições »

Saber terceira língua já vira diferencial no mercado

Tesouro quase esquecido

Universidades distanciam pais e filhos

Excesso de telefone pode afetar a convivência social


E mais: Jornal dos Jogos »

Edições: 1 | 2


Há 1 ano no Online


Superstição: gatos pretos são discriminados na adoção

Leia mais »



Há 5 anos no Online


Jornalismo Impresso e Online têm projetos para o Intercom

Leia mais »



Há 10 anos no Online


Quase metade dos jovens está desempregada

Leia mais »

 
 

 

UNISANTA Online - Jornal-laboratório desenvolvido por alunos do segundo ano do curso de Jornalismo da Faculdade de Artes e Comunicação (FaAC) da Universidade Santa Cecília. Correspondência: Rua Oswaldo Cruz, 277 - 11045-907 - Boqueirão - Santos/SP. © 1994-2012 Universidade Santa Cecília - Todos os direitos reservados. Reprodução de textos permitida mediante autorização. As matérias publicadas são de inteira responsabilidade dos alunos-repórteres, sob a coordenação dos respectivos professores-orientadores - não representando, portanto, a opinião da instituição.