Você está aqui: Primeira página » Campus
Edição nº 387 | Ano XIX | Fechada em 25/05/13 às 13h30
Cadernos
 Campus
 Colaboradores
 Cultura
 Esportes
 Geralis
 Porto
 Regional
 Saúde
 Primeira página

Contato
 Escreva para nós
 Sugira uma pauta
 Colabore conosco

Sobre o Online
 Expediente
 Arquivo
 História

 Parceria InfoSpace
 Parceria U-Wire
 RSS

Especiais
 Eleições 2004
 Eleições 2006
 Intercom 2007

 Eleições 2008
 Eleições 2010
 Eleições 2012
 Copa do Mundo 2010

 

 

 
Professora dedica metade da vida à FaAC
sábado, 25 de maio de 2013

Eliana Bonfim

Envie esta matéria para um amigo Imprima esta matéria

 Arquivo Pessoal/Drika Lucena

A história de vida da professora Adriana Lucena, 40 anos, se mistura com a história da FaAC. Drika Lucena, como é conhecida e prefere ser chamada, foi aluna do curso de Artes Plásticas (como era chamado o curso de Artes), e logo após cursou Publicidade e Propaganda. Ela era presidente do DA de Artes no período de criação da FaAC e acompanhou todo o processo. Foi no ano de 1993 que iniciaram os cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda. A união dos três formou a FaAC.

Ela não consegue dizer qual curso lhe trouxe mais satisfação, pois amou fazer os dois e afirma que foram complementares. “Desenvolvi habilidades diferentes, mas que no final acabaram se interligando na vida profissional nas funções em que atuo”.

Drika leciona, em Publicidade, as disciplinas de Estética e Cultura em Publicidade, e no curso de Produção Multimídia, Direção de Arte e Design, Cultura e Meio Ambiente. Ela também atua em outras instituições de ensino.

A vida acadêmica e profissional da professora Drika Lucena é quase que inteira na FaAC. Ela costuma dizer que é “Faac Futebol Clube”. Declara emocionada que ama olhar para trás e ver como aprendeu dentro do "Santa". “Eu estou aqui como aluna e depois como professora desde 1992. São vinte e um anos! É uma vida...”.

A professora, que é muito querida por seus alunos, diz que seus amigos de faculdade são seus amigos para vida. Seus professores de outrora são hoje os seus colegas de trabalho, os quais frequentam os mesmos lugares que ela. E é nítida sua admiração por eles.

Quando iniciou como professora da FaAC, em fevereiro de 1999, Drika tinha apenas 25 anos. Tinha acabado de se formar na segunda faculdade. Na colação de grau em março de 1999, já era funcionária do Santa. Começou como professora-auxiliar a convite do professor Aristides Brito, professor na FaAC até hoje. Ele tinha uma produtora de vídeo na qual Drika trabalhava. “Ele foi orientador do meu TCC e no final do curso me convidou para ser sua assistente. Numa conversa com a professora Beatriz Rota-Rossi, contei a novidade e ela também me convidou para auxiliá-la. Assim eu comecei em 1999 como assistente dos dois professores”, relembra.

“Eu estou aqui como aluna e depois como professora desde 1992. São vinte e um anos! É uma vida... (Drika Lucena)Ao longo desses anos, ela presenciou uma mudança grande na grade das disciplinas, que segue em curso. Na antiga, Drika lecionava Cultura Brasileira, porém essa disciplina não existe mais em Publicidade. “Acredito que as mudanças vieram para acompanhar as tendências do mercado publicitário, para deixar o curso mais dinâmico também. No começo, sempre ficamos um pouco reticentes com mudanças, mas agora com a grade implantada e funcionando vejo como o curso está mais específico e direcionado”.

Segundo ela, o aluno consegue se encontrar mais dessa forma, porque passa por todas as áreas de atuação e pode ver qual é mais adequada para ele e em qual consegue ter mais destaque. Para Drika Lucena, é muito importante que o aluno se identifique com algo e saiba o que quer fazer. “Na faculdade, é o momento de ‘se achar’ mesmo. O mercado vem exigindo pessoas com habilidades específicas, mas que saibam de tudo um pouco. Acredito que a nova grade possibilita isso. A formação de um profissional mais completo, mas já com a certeza de sua real aptidão”.

Alunos acabam tornando-se grandes amigos- Alguns alunos que passaram por sua sala de aula hoje também são professores na FaAC. Outros se tornaram profissionais excelentes espalhados por todo canto do país e do mundo. “Ver tudo isso, o crescimento deles e o meu também é incrível. Eu amo saber o que acontece com os alunos depois que eles saem daqui. Já fui em muitos casamentos, em chás de bebês... tenho muitos alunos que se tornaram grandes amigos e que eu vou levar para vida inteira”.

Drika conta que acha engraçado quando, às vezes, encontra algum professor que lhe deu aula e diz: "oi professor". Ainda se sente um pouco aluna quando entra no Santa. Afinal, ela viu muitos prédios crescendo e sendo construídos. “Eu vivi a faculdade com toda intensidade que um jovem tem. Fui presidente do Diretório Acadêmico, participei da agência laboratório, me inscrevi em todos os concursos que apareciam, viajei para congressos, participei de projetos propostos pela universidade, enfim, eu vivi a FaAc, quando ela nem tinha esse nome ainda. Hoje eu tenho 40 anos e posso dizer que exatamente metade da minha vida eu estou aqui. Não é só a FaAc, mas a UNISANTA, como um todo, é quase a minha casa”.

Escola de samba- Drika ainda atua como jurada de escolas de samba desde 1996. Em 2005, foi convidada para julgar o desfile das escolas de samba do Carnaval do Rio de Janeiro, no grupo especial, como mostra o portal Terra. Lá ficou durante 7 anos consecutivos.

Nos últimos dois anos vem trabalhando na cobertura do carnaval santista, como comentarista na TV Santa Cecília.




Leia também no caderno Campus TEP prepara A Carta para concorrer em festival
 Roupas identificam tribos nos corredores da faculdade
 Músicos universitários usam aprendizado para a arte
 Projetos aproximam alunos da comunicação ideal



 

 

 

 

Twitter Página do Online no Facebook RSS do Unisanta Online Comunidade do Unisanta Online no Orkut


Três trabalhos da Unisanta concorrem
no Intercom Sudeste 2013

Leia mais »


20 anos da FAAC

Professora dedica metade da vida à FaAC

Projetos aproximam alunos da comunicação ideal

Agência Aupp também comemora os 20 anos da FaAC

Gestão Comercial de Moda passa por transformações

Tradicional, curso de Artes Visuais ameaça fechar

Produção Multimídia é o caçula da FaAC

Laboratório de Rádio e TV da FaAC completa nove anos

Aluno da primeira turma de jornalismo relembra faculdade

Jornal dos Jogos: 16 anos de informação e bom humor

Jornalistas formados na Unisanta relembram os tempos de FaAC

Primeira Impressão faz edição especial sobre 20 anos da FaAC

FaAC celebra 20 anos de reconhecimento




Divulgação Secom-PMS

Baixe as últimas edições »

Universidades disponibilizam conteúdo gratuito online

Alunos jogam lixo nas ruas e causam transtornos

Internet tem leis e dá cadeia

Especial Comunitário: Jardim São Manoel

Aumentam as reclamações em sites de compras coletivas

Vida de ‘concurseiro’ não é fácil

Na feira, tomates, verduras e pedidos por votos

Estudantes se dividem entre aulas e afazeres domésticos

Orientação vocacional auxilia universitários

Voto nem sempre é local

Saber terceira língua já vira diferencial no mercado

Tesouro quase esquecido

Universidades distanciam pais e filhos

Excesso de telefone pode afetar a convivência social

Especial Inverno


Há 1 ano no Online


Baixe as últimas edições »

Especial 20 anos da FaAC

TCCs: Contribuição coletiva

Paulo Alexandre vence no primeiro turno

Saúde, o principal desafio da região

Suplemento: especial Milton Teixeira

Baixada aposta na Educação para reduzir desigualdade

Terceira idade: respeito e qualidade de vida

Economia aquecida

Semana de Arte Moderna: 90 anos

Um século de glórias

Última impressão

O caminho das artes


Há 1 ano no Online


Bem Estar

Melhor Idade

 

 

UNISANTA Online - Jornal-laboratório desenvolvido por alunos do segundo ano do curso de Jornalismo da Faculdade de Artes e Comunicação (FaAC) da Universidade Santa Cecília. Correspondência: Rua Oswaldo Cruz, 277 - 11045-907 - Boqueirão - Santos/SP. © 1994-2013 Universidade Santa Cecília - Todos os direitos reservados. Reprodução de textos permitida mediante autorização. As matérias publicadas são de inteira responsabilidade dos alunos-repórteres, sob a coordenação dos respectivos professores-orientadores - não representando, portanto, a opinião da instituição.